Com as exigências estéticas da sociedade actual e um ideal de beleza que não permite qualquer excesso de peso, as pessoas vêm-se por vezes em caminhos menos correctos que acabam por leva-las a graves problemas de saúde que passam, em primeiro lugar, por perturbações da esfera oro-alimentar. 

A mentira é tão frequentemente utilizada que o seu sentido ultimamente parece tender a ser banalizado.

Ao nascermos todos ficamos sujeitos a uma mesma limitação: a morte. Apesar de nos ser a todos familiar – quer pela experiência próxima do falecimento de familiares quer de amigos ou mesmo desconhecidos – o tema da morte e do luto é um dos mais difíceis de abordar, causando um sofrimento terrível.

A depressão é uma realidade que afecta cada vez mais a população (Widlöcher, 1995; Vallejo-Nágera, 2002). A maioria das famílias as nossa sociedade já contactou, contacta ou virá a contactar com um ou mais casos de pessoas deprimidas. Sendo assim, o que será que as pessoas pensam sobre a depressão? 

Na Internet, sem dados objectivos, é mais fácil soltar as fantasias, imaginar o parceiro de uma forma idealizada e até mesmo apresentar uma imagem idealizada de si próprio. 

Os pesadelos, apesar de como todos sabemos, não serem nada agradáveis, fazem parte do sono e cumprem uma função muito importante que é a de nos permitir regular a ansiedade e continuar, de alguma forma, a dormir.